Tenho de fazer dieta! Ou vá… comer melhor

Eu nunca fiz uma dieta na minha vidinha… Comer é para mim cá um prazer, não gostasse eu também de cozinhar e Oh Deus, como eu adoro cozinhar! Mesmo vivendo sozinha, ela vai e faz! Fosse eu tão pouco preguiçosa noutras coisas como para me agarrar aos tachos.

E visitar restaurantes! Ai como eu gosto de conhecer restaurantes!

MAS… Os 30 já cá estão e isto do sobe e desce dos kg já não vai tão rápido como antes e mal abuso uns tempos, lá está a calça a ficar mais justa. Gostava de ser menos boca santa, o meu pior pecado são os queijos e os enchidos, basicamente os petiscos. Como boa Ribatejana também não digo que não a uma feijoada, mão-de-vaca e cozidos no inverno, chega o verão é o caracol, são as festas e romarias por todo o lado… não dá. A pessoa tem arranjar aqui um meio termo.

Existe cada vez mais e mais gente a seguir um estilo de vida saudável e cada vez a coisa é menos entediante como dantes, não existe aquela rigidez do queijinho fresco e daquela posta de pescada sem jeiteira nenhuma que fazia a pessoa ficar depressiva. Agora podemos inventar com todo um mundo de receitas saudáveis, ingredientes que apareceram na berra para nos dizer que os pratinhos podem ser lindos e saborosos e… como não consigo fazer dietas, acho que esta menina vai mesmo por aí. Divertir-se a cozinhar saudável. A fazer umas misturas de sabores (viva o ovo que se chegou à conclusão de que afinal não é proibido comer mais que um por semana e eu adoro ovos!!), o salmão que eu também adoro (o peixe em geral não é problema), os grelhados com uns legumes, frutinha de manhã, batidos com panquecas de aveia também são capazes de marchar e o que motiva também é fazer a coisa bonita para pôr no instagram certo? (Olhem aqui a chef que eu sou!)

Já andei a fazer algumas coisas que até correram bem

Panquecas de aveia com cacau e melancia (fica muito boa a junção) Ficou boniiiito!         2 ovos
6 c. sopa de farinha de aveia
Canela em pó
Eu pus açúcar de côco
Leite magro q.b.
1 c. chá fermento em pó

A doida do pão e das massas também sabe que tem de diminuir na ingestão destes ditos, então comprei farinha de espelta e fiz pão de espelta. A espelta é um parente do trigo e tem imensos benefícios para o organismo, rico em fibras e vitaminas, cobre, magnésio, fósforo e muito ferro e proteína. Eu nunca fui adepta de substituir o meu pãozinho por pães estranhos e não é que gostei deste?

O lindo que ficou
Farinha de espelta 500 g
Água 350 g
Fermento 40 g
Mel 1 colher de chá (eu não pus)
Sal 1 colher de chá
Vinagre 40 g
Sementes de Sésamo 50 g
Sementes de abóbora 50 g
Sementes de Girassol
Forminha e vai ao forno 180º 30 minutos
Só porque fiz aos meus pais um arroz de peixe maravilhoso e saudável! (E acreditem eu sou uma desgraça a fazer arroz, este foi um milagre!)
As bowls estão na moda, montes de ingredientes saudáveis dentro de taças, tudo ao molhe! Peixe, sementes, vegetais, frutas, frutos secos, é o que for. E claro o belo do abacate que veio para ficar.
Eu na preparação de bolinhos com os meus ingredientes gourmet do bem
E ficaram estas bolinhas de cacau, côco e clorela. E clorela ou chlorella porquê? É uma microalga que faz bem a quem tem alterações na tiróide (a minha tem de ser vigiada anualmente), então descobri que esta menina fazia bem (e não só), é uma super fonte de clorofila, é bom para o colesterol, tem proteína, é um multivitaminico, desintoxicaste, antioxidante. Mas! Sabe mal e cheira mal! É uma alga em pó, cheira a peixe e eu resolvi arranjar forma de a ingerir sem pesadelos como estas bolinhas de côco e cacau e resultou!
Outros queques todos saudáveis de aveia e cacau (sou uma querida para as amigas)
Não vou ser radical com a massa, faz-me falta e vou ficar muito triste se deixar de a comer 🙁 – Salmão com molho pesto e tagliatelle
Aguinha de côco que eu tanto adoro, assim como o fruto em si. O côco é outro daqueles que está em alta, tanto o fruto, como a água, como o óleo, ou o leite… Podia ser mais barato..
O The Wrepe no restaurante orgânico – The Cru – em Cascais é só uma tentação dos deuses e melhor, não faz mal! Os ingredientes são todos orgânicos e biológicos, assim como os molhos. Comer sem culpas, este restaurante é daqueles que acaba mesmo com o mito de que comer bem e saudável é chato e sem sabor, é tudo tão bom. Tem também uma pequena mercearia cheia de produtos biológicos e amigos do ambiente.
Os peixinhos frescos que não precisam de grandes invenções (este por acaso foi feito pela MaMi)
Bolo de aveia que eu fiz, fica muito bom com a canela e a banana, a cozinha fica cheia de aromas… nhamiiii

E pronto, vou dedicar-me ao saudável mas não quer dizer que vá abandonar os meus petiscos, os meus pãezinhos, as minhas massas, as comidas tradicionais… Nop, só encontrar um equilíbrio na coisa e poder continuar  ser feliz à volta dos tachos.

 

Uma beijoca*

 

 

Alisamento e o meu cabelo

Oláaa gente!

O que é que eu me lembrei de falar e esclarecer, (pelo menos a minha experiência) que algumas pessoas me perguntam? Acerca do meu alisamento de cabelo. Se resulta, se danifica o cabelo, se ao contrário hidrata, há quanto tempo faço….

Para já começo pelo meu tipo de cabelo, é fino e não é de todo dos mais fortes ou densos, todas as mudanças de estação tenho de tomar vitaminas, se ando mais ansiosa cai-me imenso, demora séculos a crescer!!(sempre foi assim, umas vezes mais forte outras mais fraco). Portanto sempre foi o cargo dos trabalhos (ou não, porque quando tinha caracóis usava-o constantemente apanhado e estava a andar).

Já tive bastantes caracóis  (2010)
Depois comecei a fazer madeixas, fiz imensas, às vezes em locais em que era caríssimo e não o sabiam fazer de todo ou lidar com o meu tipo de cabelo… Passei por vários “vamos remediar isso” sinceramente foi o que me enfraqueceu mais os fios. Madeixa em cima de madeixa, em cima de madeixa.
Era isto, sempre e constantemente  (não sei porque é que as minhas fotos estão a ser todas em restaurantes)

Nunca tive muitos cuidados com o meu cabelo, até há 4 anos atrás (altura em que fiz o primeiro alisamento), sempre tive pavor de cortar porque sempre foi um martírio para crescer, passava a vida com ele bem amarrado, usava produtos profissionais de cabeleireiro (shampoo não sei quê, amaciador não sei quantos, máscara) mas fora isso não sabia de maneira nenhuma lidar com o que tinha, era lavar e pôr uma carrada às vezes de gel extra forte de uma marca qualquer que me deixava o cabelo mais seco que um bacalhau!

Ele passou por algumas fases desde pequena, usei sempre curto até aos 7 anos de idade (portanto na altura em que deveria ter crescido porque ainda não formava caracol), quando foi para crescer já os caracóis armavam e foi uma das minhas piores fases, para crescer demorou aaaanoooos porque armava sempre! Tinha imenso cabelo na altura, crescia, armava, crescia, armava… Foi o terror, só uns 4 anos mais tarde sem cortar consegui começar a fazer os primeiros apanhados.

Eu não tinha um caracol perfeito, só depois de sair do banho e no outro dia já parecia uma esfregona… Não dava para ficar bonito, os caracóis não ficavam bonitos ou teria de o lavar toooodos os dias, pentear só no banho, passa-lo por água novamente e nem voltar a ver escova depois disso, para conseguir que ele não ficasse separado e os caracóis caíssem mais fechados. Secar nem pensar, só ao natural, o secador ia separar os fios todos again e era como se não me tivesse penteado há meses. Resultado, madeixas porque não podia fazer qualquer outro tipo de coisa no meu cabelo e constantemente um totó no cimo da cabeça, nem rabo-de-cavalo era (ou era muito raramente).

Depois de tanta asneira com madeixas durante alguns anos, fui onde me aconselharam por ser um dos melhores, pintar de novo do meu tom, à griffehairstyle em Lisboa. Adorei!! Super bem atendida, voltei a ser morena, num tom muito bonito (porque ainda tinha umas luzes das madeixas que tinha por baixo) trouxe o cabelo assim como na foto, volumoso mas bonito e bem comportado ao mesmo tempo e… nunca mais eu lhe consegui fazer o mesmo em casa
Voltamos ao apanhado
E sempre apanhado

Eu adorava ter o cabelo liso e bem comportado, tinha pensado muitas vezes no alisamento mas ouvia tantas vezes que o meu cabelo era fino não iria aguentar, quase me capacitei (vais ter de te conformar). Até que veem aquelas ondas em que queremos mudar, deixei-me de opiniões alheias e fui realmente consultar quem de direito, pesquisei, falei com profissionais, vi outros exemplos como o meu. Cheguei à conclusão que pessoas com cabelo fino também fazem alisamentos, não podem é ser desleixadas como eu era antes, ele precisa de tratamentos de fortalecimento, densidade, vitaminas, cortes constantes nas pontas, séruns capilares para a raiz… E claro não podemos também fazer muito mais coisas em termos químicos  porque é um cabelo frágil. Mas ao menos podemos fazer cortes diferentes! Uma amiga levou-me a quem conhecia num salão no Estoril, com um bom preço e fiz lá o meu primeiro alisamento, não me lembro que marca era mas fui na confiança. 

 

1 2 3 primeiro alisamento e a garota ficou toda feliz (mais um restaurante…). São muitos os tipos de alisamento e varia o preço de salão para salão. É conforme o produto, conforme a marca. Existem alisamentos para 100 e muitos €, outros mais simpáticos, outros com preços realmente competitivos, escova progressiva, laser, sem formol, têm de pesquisar o que melhor se adequa ao vosso cabelo e ver testemunhos dos salões que estão a pensar ir. Eu pesquisei preços, ouvi falar de alguns, encontrei depois o da Purah, a  um preço que me agradou e fiz. Têm maioritariamente duração de cerca de 6 meses, ficamos por volta de 2h no salão a aplicar o produto e a secar, nos três dias seguintes é muito importante não amarrar o cabelo, não pôr fitas ou para trás da orelha, não lavar e passados os 3 dias (sempre de cabeça muito direitinha 😀 ), já podemos lavar, com shampoo sem sal. 
Nos 3 primeiros dias o cabelo com o produto a actuar vai ficar escorrido mas sendo o primeiro alisamento, após a primeira lavagem ele vai ganhar umas ondas na mesma e no meu caso quando molhei e não sequei, fiquei com caracóis novamente mas era só dar-lhe com o secador que voltava a alisar
Agora isto já não me acontece mas depois do primeiro, sim (pelo menos a mim)

Da primeira para a segunda vez durou-me mesmo os 6 meses, entretanto começou a ganhar imensos jeitos nas pontas, tinha muitos pequeninos a nascer em caracol que ficava esquisito no cimo da cabeça e não os conseguia alisar, após a segunda vez ele fica bem mais liso, mesmo sem secar, ou no verão, na praia, ele só fica com umas ondas depois de ir à água, nada de caracóis. 

Passei entretanto para os alisamentos sem formol porque me aconselharam, dizem que é melhor, quimicamente agride menos o cabelo…

Eu ganhei uma liberdade que desconhecia, não há o stress de nunca saber o que lhe fazer, de entrar em pânico se não tenho elásticos ou ganchos, durmo com ele solto. Na praia, na piscina, já posso pentear-me depois sem ter medo que ele seque e eu pareça um caniche.

O primeiro “grande” corte que dei desde que me conheço por gente mas ele agora não arma!!

No entanto, por achar que o meu cabelo é realmente frágil e é um facto, os 6 meses, comecei a alonga-los, o intervalo que dei entre os dois últimos alisamentos, foi perto de um ano, foi até não conseguir fazer mais nada com ele e ter caracolinhos por todo o lado. Fui experimentar um novo local, ainda estou a pensar se gostei do resultado ou não… O cabelo não ficou tão liso como nos outros alisamentos (não me tem feito também grande diferença porque o tenho deixado com jeitos por opção mas caso o queira alisar, não tenho tanta facilidade como tinha).

Mesmo nos 6 meses após o penúltimo alisamento (aqui não sequei, gostei assim)
A fazer um ano do penúltimo alisamento, não parece mas já não conseguia fazer nada com ele, tinha mesmo de o esticar e ter trabalho
Depois do meu último alisamento (penso mesmo que não tenha sido tão eficaz mas como disse tenho deixado jeitos por opção e sim o meu cabelo continua a demorar imenso a crescer desde o corte “radical” de julho do ano passado)
Por enquanto está assim, a ver vamos como estará passado 6 meses

Aconselho que se informem, qual o melhor para vocês, o melhor local, um bom profissional, ouvirem várias opiniões (de quem conta, não do disse que disse), já sabemos que é um químico, que têm de ter cuidados extra ainda mais se ele não é forte ou denso como o meu. 

Se decidirem pelo “sim”

Usem protector de calor

Eu tenho usado este da Tresemmé
O UniqOne com 10 benefícios para o cabelo, que já falei dele, adoro
Um similar ao anterior que também promete muitos benefícios e tenho usado ultimamente,  liso keratina da Tresemmé
Se o cabelo precisar de densidade como o meu, aconselho este sérum – LÓreal Professionnel Serioxyl denser hair treatment (tenho de pensar em voltar a usar, adorei, notei mesmo diferença)
Este spray de oleo  que dá um brilho lindo – Gold Wella
A banhos no verão, um protector solar, cloro e água salgada – Bc Sun Protect Schwarzkopf

Combate à queda e auxilio ao crescimento 

É o meu preferido, aconselhem-se com o médico ou dermatologista
Também já falei sobre os tónicos Gota Dourada, tenho usado ultimamente, deve usar-se 3 vezes por semana, actuar mínimo 2 horas e lavar como habitualmente
E o óleo de côco. Está na moda nos cozinhados mas é um dos melhores aliados na beleza, sobretudo dos cabelos. Ajuda a fechar as pontas espigadas e também contra a queda

Tenham cabelos sorridentes

 

1 beijoca**

 

 

 

Uso e abuso e torno a usar

Uma das coisas que aprendi muito em consultoria é de que podemos ter o nosso estilo, gostar mais de pormenores, apliques ou algo que marque pela diferença mas nunca esquecer os básicos e os essenciais e de preferência de qualidade. Os brancos e pretos, os nude, os cortes simples, aquela peça que se usa com mil coisas, os bons materiais que duram décadas…

O meu gosto por trapinhos veio de alguma maneira da minha mãe (e calçado, temos as duas uma adoração por calçado), existiam aquelas duas alturas do ano em que ela agarrava em mim e lá íamos ver as tendências, “modas” da próxima estação e fazer as compras, ela é uma pessoa com um estilo muito próprio e apesar de termos estilos diferentes uma da outra (no meu caso eu sou mais feminina e não arrisco tanto) o meu estilo vem muito da influência da minha mãe (apesar de hoje em dia eu já influenciar bastante o dela, igualmente. Aaaah as filhas crescem) eu gosto de peças diferentes porque a minha mãe sempre procurou a diferença no que me comprava e qualidade preterindo a quantidade. O resto vem de mim e é aí que diferimos. Problema? Eu aprendi a ter X peças muito giras, maior parte caras e diferentes mas não aprendi que precisava dos básicos para conjugar e vestir-me o resto dos dias… Ficamos com roupa repetitiva e limitada e o mesmo em relação a acessórios. É verdade, quando estava em casa dos meus pais as faltas não se notavam porque lá ia à roupa da minha mãe e lá preenchia o buraco no look mas quando comecei a ser eu a cuidar das minhas compras e a viver sozinha, cheguei à conclusão de que a minha roupa e acessórios eram muito emocionais, de compra espontânea “Tão giro tão diferente tão maravilhoso eu quero isto!!!”. E faltava sempre qualquer coisa, ou básica, ou aquela cor que deve sempre existir, ou aquele material melhor porque fui comprar uma coisa baratinha sem aspecto nenhum, ou aquela coisa cara que só se usa 3 vezes, passa de moda e xau…

Ai gosto tanto!! Vou comprar!

Aprendi a apostar muito em coisas, primeiro que preciso, depois que sei que vou usar imenso, que preencham, que se conjuguem e que façam falta. Coisas diferentes? Adoro na mesma!

Coisas que comprei e uso e abuso

Luis Onofre – Nota-se o uso!  Já lá vão 4 anos e adoro! Não foram baratas mas foram um dos melhores investimentos
Blazer de meia estação da Zara – É preto, cai impecável, gosto do pormenor da manga arregaçada, tudo ok para usar umas vezes 
Blazer Inverno cinzento Zara – o mesmo tipo do primeiro, só o material e a cor é que são diferentes 
Botas Diesel – são confortáveis, versáteis, trouxeram 3 tipos de caneleiras para mudar. Se foram baratas? Também não mas estão a justificar o preço. E já agora este vestido da Mango também me farto de usar 
A speedy bag da Louis Vuitton – Usada e usada e usada, é a sofredora dos usos
São pretos, clássicos, são os amados Louboutin. Há casamento? Boa aposta, há festa mais arranjadinha, boa aposta, o sapato preto quanto a mim é como o vestido, nunca comprometem também 
Eu adoro este vestido, acho que cai bem e uso muito, só não posso fazer grandes malabarismos ahah É da Elisabetta Franchi, adoro a marca, tem coisas muito diferentes,  muito femininas mas que tudo o que tenho de lá, uso imeeeenso! 
Tenho este e em preto, um modelo ligeiramente diferente mas eu adoro este tipo de casaco. Vão sempre atrás de mim nas noites frescas de verão, eu adoro o género de casaco militar  – Ralph Laurent Denim & Supply
All Star? Siiiim em branco e em preto, são indispensáveis. Em pequena all star? Nem pensar! Ah como eu não sabia a falta que faziam 
Casaco de penas  mais usado dos últimos invernos, viagens, chuvadas, vai para toda a obra! O pêlo sai  – Casa das Peles
As Adidas Gazelle também estão no top do uso
Está a chover? Esta vai sempre enfrentar a chuva – Armani Jeans
Casaco querido do Outono – BB & Co – Adoro! Inspirado na Balmain
Camisa mais usada no verão, uso muito, uso com tons neutros, uso com cores, adoro misturar o vermelho, foi um Sim!
E a mochila mais usada do universo e mais além – Marc by Marc Jacobs – já passeou bem esta mochila, vai a todas, é prática, é preta, de qualidade, já aguentou muito, valeu a pena.

 

São coisas que eu uso e uso e torno a usar, valeram muito a pena, são de qualidade e espero que durem séculos!

1 beijoca

 

 

 

 

 

 

O nosso País é lindo

Uma mini compilação de fotos de locais por onde estive que dizem muito do nosso cantinho à beira-mar plantado **

Arrábida
Arrábida
Boca do Inferno
Boca do Inferno
Boca do Inferno
Casa da Guia Cascais
Ponta do Sal
Carcavelos
Porto Covo
Lagoa de Santo André
Tapada de Mafra
Porto
Madeira
Madeira

É tão jeitoso este país

Uma beijoca*

Carnaval e umas dicas

Ah o Carnaval é amanhã! Eu não sou nem nunca fui muito adepta desta época, participava quando era pequena nas festas da escola, nos desfiles da vila porque também eram das escolas e a partir do momento em que deixou de ser obrigatório, mascarei-me umas 2 vezes no secundário por causa de festas organizadas e outras 3 vezes em adulta para entrar na onda do grupo.

O primeiro disfarce foi de Lady Gaga, cabeleira loura, pintei o raio no olho, vesti-me de tigresse e renda com uns grandes enchumaços nos ombros. A segunda se me lembro foi de pirata, em que comprei mesmo o vestido e o chapéu (chapéu este que não chegou a casa) e a terceira de CatWoman, lá fui eu de macacão de vinil, máscara e chicote (interessante que este também não chegou a casa, como para além disso comprei umas botas muito baratinhas, altas, só para o efeito do dia e tão baratas foram que ao chegar a casa tive de as cortar com a tesoura da cozinha… ou dormia com elas, coisas minhas…)

Para aqueles que adoram o Carnaval já devem ter tudo organizado quanto a disfarces (sim disfarces, existe quem use muitos) desde há muito tempo, há quem goste realmente do Carnaval, se eu sou Natólica porque adoro o Natal, existem os Carnavólicos 😀 

E para aquelas pessoas que assim de repente têm uma festa e oooops, não há traje… que seria o que me aconteceria a mim, estava aqui a ter a ideia de como me desenrascaria. Vejamos.

Amy Whinehouse 

A Amy Whinehouse tinha um estilo assim de Pin-Up da nossa era. Penso que seria fácil aproximar à imagem. Um eyeliner bem carregado, o penteado, que existem ‘N tutoriais no youtube a explicar como fazer, uns brincos grandões, preferencialmente argolas, uma pesquisa pelas tatuagens  da artista para desenhar com lápis pelo corpo. Roupa… há quem tenha vestidos pin-up com roda ou lápis e bem cintados, já estava tratado, caso contrário um top push-up com uma saia lápis bem cintada, ou saindo mais do estilo pin-up mas também usado, uns jeans, um top de cavas e uns quantos fios finos ao pescoço.

Hospedeira de bordo

Quem tem um fato de saia e casaco? Ou uma saia lápis igualmente, uma camisa branca e um blazer, com uma lencinho vermelho ao pescoço (ou de outra cor). Chapéu é usar a imaginação com o que se tem em casa, um triângulo de algum material com  gancho para o cabelo, ou um género de barquinho com uma cartolina, já está.

We can do it!

Foi um cartaz criado para elevar a moral dos trabalhadores de uma empresa em 1943, na Califórnia, trata-se de uma operária que representa as trabalhadoras pela altura da guerra. O gesto do cartaz ficou bem conhecido, (terão de o fazer muitas vezes… é certo). Denim total! e um lenço no cabelo e pronto.

Gato 

A inspiração vai da maquilhagem, mais uma vez no youtube, tutoriais de maquilhagem para o rosto, que é basicamente eyeliner preto e para o corpo, talvez preto total, assim dá um gatinho preto.

Divirtam-se 

1 beijoca *

 

 

 

 

Dia dos namorados

Dia 14 lá vem a galope o dia dos casalinhos, ou amor no geral, não precisa ser só dos casalinhos.

Mas e ideias para este dia?

Pulseira de aço – Tous / Perfume Emblem – Mont Blanc / Jogo para casais – Mr. Wonderful / Experiências Odisseias – Adrenalina Top (claro que é para os dois géneros / Boxers – Tezenis / Agenda Star Wars – Moleskine (para os amantes de Star Wars)
Brincos – Tous / Anel prata, ritmo cardiaco – Stone by Stone / Cubo de Rosas – www.kasadasflores.com / Cadeado de chocolate Hussel / Babydoll – Intimissimi / Taça Bela e o Monstro – DisneyStore (se alguém adorar como eu 😀 )

E mais…

 

Experiência Fuga a Dois – Odisseias
Cinema – As Cinquenta Sombras Livre
Sushi em casa, por exemplo www.sushiathome.pt
www.quintadaregaleira.pt – Para mim um dos sítios mais românticos, Sintra e sem dúvida a Quinta da Regaleira

Bons planos

1 beijoca

Marrocos

E agora posso afirmar, “gostei bastante de Marrocos”, existe tanta gente que adora aquele país, com certeza dirá “esta é louca, o que haverá para não gostar?”

A minha história com Marrocos começou quando eu tinha os meus 12 anos, sentada no banco de trás do jipe dos meus pais e o que é que acontece normalmente às meninas, por volta dos 12 anos? Pois é, passamos a saber o que são aquelas alturas do mês… E são só as mais bravas da história! Perdoem-me os pormenores mas acontece… Fomos na altura num grande grupo, portanto, com pouco poder de decisão e o objectivo do grupo na altura não era conhecer, era ficar nos sítios piores que encontrassem e ir atrás de fósseis para coleccionar. Ora há lá coisa mais gira que andar atrás de pedras para uma menina de 12 anos? Eu desconfortável da vida, nova, atrás dos pais, a ficar em locais onde faltava de tudo, onde só olhei para pedras, fiquei traumatizada.

Passando à frente do meu trauma, em 18 anos Marrocos é muito diferente e a viagem, não em grupo a parecer carneiros, com o objectivo de conhecer, passar uns dias giros e vá a idade é outra, correu muito bem.

Marrocos 

Marrocos é uma mistura de culturas. É um dos maiores países do mundo, com uma costa extensa e um interior com grandes diferenças geográficas, desde grandes planícies (com km e km de estrada) ao Atlas (uma das maiores cadeias montanhosas de África) ao deserto e aos oásis.

Os principais grupos étnicos, são dois, árabes e berberes (estes últimos habitam  mais nas zonas montanhosas). Assim como as grandes diferenças culturais no seu interior, Marrocos no seu todo influencia em grande a cultura do resto do mundo, seja em termos de decoração, gastronomia, vestuário, música, etc…

E foi para aí que apontei nesta época de festas. Foram 4.000 km, em 10 dias  mas valeu muito a pena.

Os alojamentos, foram escolhidos a dedo, muitos ficaram a cerca de 20€ por pessoa mas é preciso tempo na escolha, os Riads são os locais qualidade/preço mais certeiros para ficar. São pequenos palacetes com jardins interiores, normalmente localizados nas zonas mais antigas e centrais das cidades, são eles também muito típicos e tradicionais e a maioria pertencentes a franceses (segundo idioma oficial).

Espanha – a caminho do porto de Algeciras

De Portugal para Espanha, a caminho do porto de Algeciras (ficamos uma noite em Sevilha para partirmos de mais pertinho)  onde fizemos a travessia para o porto de Tânger. Tânger é uma cidade muito diferente do que era, é cosmopolita, com imensa construção nova, vivendas lindíssimas, com passeio marítimo, edifícios e bairros modernos.

Ficamos num Riad, na antiga medina zonas mais antigas e típicas da cidade, labirínticas também –>  é encontrar alguém para ajudar, aconselho a ser esperto mas não entrar em pânico, são um povo muito comerciante e estão constantemente a assediar o turista, às vezes é até chato mas maior parte delas precisamos mesmo deles para nos levar a um determinado ponto ou a encontrar estacionamento, eles querem receber algum dinheiro em troca, não muito, é o que for e o carro por muito que fique longe é sempre bem guardado, eles precisam do turismo é com isso que ganham a vida ou fazem os seus biscates, não querem problemas. Sejam bons a negociar.)

Medina Tânger
Riad Tânger
Riad Tânger (este Riad, ficava mesmo no meio da medina, neste caso o proprietário já tinha um rapazito para nos indicar estacionamento e levar-nos lá, de outra maneira era impossível. Dar Nakhla Naciria, é um Riad muito pequeno mas giríssimo, 2 quartos no rés-do-chão, muito simples mas acolhedores, portanto ficaram completos connosco, wc pequenino e simples, sem base de duche – integrado no próprio wc – mas muito limpo,  e o proprietário reside em cima, de resto o espaço em baixo, é todo nosso).
Tânger

Tânger  —- >  Marrakech 

Marrakech é a quarta maior cidade do país, uma das mais emblemáticas, apesar de ter também zonas mais modernas e bairros contemporâneos, a medina é Património Mundial e o mercado é o maior de Marrocos, é um mundo de entretenimento de rua, desde música, a dança, encantadores de serpentes, a oferta gastronómica das tendas é vasta e o artesanato, predominante. Novamente voltamos a ficar na medina, num Riad (e sim, precisamos de ajuda a encontra-lo).

Marrakech
Marrakech
Mercado Marrakech
Mercado Marrakech
Marrakech Riad Rabahsadia (é muito bonito, muito recomendado, os quartos são lindos e espaçosos, as casas de banho igualmente e tem um terraço com esplanada muito bonito com vista para a medina).
Riad Rabahsadia

 

Marrakech (Eeeeh Riad giro!)
Véspera de Natal
Almoços muito saudáveis (ou não), paragens só ao jantar
A paisagem muda quando passamos pelo Atlas

Marrakech —– > Ait-Ben-Haddou

—– Passagem antes de ficarmos em Ait-Ben-Haddou, portanto a caminho, Ouarzazate, Hollywood de Marrocos. 

——-Mas também a caminho de Ouarzazate, uns 11km antes de chegar

Oàsis Fint – 11Km Ouarzazate (é lindissimo)
oasis Fint
oasis Fint

 

Ouarzazate – Apelidada pela “porta do deserto”
Taourirt Kasbah Ouarzazate – este é um dos mais importantes Kasbahs (é importante dizer que todo este caminho feito vindo de Marrakech é a rota dos mil Kasbahs, que são casas berberes fortificadas, construídas à base de palha e estrume seco, são visíveis imensos Kasbahs pelo percurso mas poucos tão imponentes ou importantes quanto este em Ouarzazate, é um dos mais preservados)
Taourirt Kasbah
Cla Studios, os estudios de cinema Ouarzazate – Daqui saíram os cenários dos filmes Gladiador, Asterix e Obelix, A Múmia…

Ait-Ben-Haddou, é uma pequena vila fortificada, pequenina, situada num monte, com uma das melhores vistas!! As casas são fornecidas por placas solares, não tem iluminação nas ruas, (levar lanterna). Subir ao topo do forte à noite, mesmo o topo da vila, é de tirar a respiração, a energia e paz que se sentem são avassaladores. Não há luxos, só a beleza do que rodeia. É património Mundial da UNESCO e já foram gravados vários filmes por lá como os referidos.

Ait-Ben-Haddou
Auberge Ksar Yousra (é uma experiência ficar  neste local, nada de luxos mas tudo muito pitoresco, a vista do terraço onde se toma o pequeno almoço é linda, os quartos são do mais simples que existe, os wc também não têm base de chuveiro  mas é tão diferente este local e os funcionários são do mais amável que ficam em longas conversas connosco depois do sol se pôr, é um ambiente familiar, para além da vista, a gruta que é sala de convívio é outro ponto forte.  Não existem restaurantes, o jantar tem de ser reservado no próprio alojamento e vale a pena. Esqueçam os carrinhos ou funcionários que ajudam a carregar bagagens. A Christine trata do assunto.

Auberge Ksar Yousra
Vista  Ait-Ben-Haddou

 

De volta ao caminho…

—–> Gorges do Todra 

Gorges do Todra – As gargantas do Todra, são planaltos enormes onde pelo meio passa o rio Todra, é fantástico passar e ver a enormidade destas “paredes” gigantes. Visita obrigatória.

Ficamos em Thingir,  uma cidade de passagem perto das gargantas do Todra, atravessamos a rua principal e o nosso objectivo era pernoitar (e foi um dos melhores hotéis em que ficamos e onde comemos), no outro dia o deserto esperava…

Hotel Tomboctou (a foto aqui não lhe faz grande justiça mas aqui  na altura não tinha aqui mais nenhuma. A vista do terraço também é fantástica )
Tomboctou
Tomboctou

——–> Merzouga 

Aldeia berbere já no deserto do Sahara, mesmo ao lado das dunas de Erg-Chebbi, o maior conjunto de Marrocos.

A paisagem volta a mudar

Chegamos ao Deserto! Ficamos no Riad Madu, o local mais caro de todos os que ficamos mas foi pela experiência, o proprietário já era conhecido e está a fazer algo bem interessante para os turistas. O alojamento mais concorrido do sítio é o Auberge Café Du Sud, sempre cheio mas o Riad Madu está a alcançá-lo. Ficamos duas noites por lá, a primeira nas tendas, ao lado das dunas (lindas com super condições! Bem mais que certos hotéis… daí o preço) e a segunda mesmo no Riad já mais afastados.

 

Riad Madu (tendas)
Riad Madu 
Riad Madu

 

Riad Madu (tendas)
Riad Madu
Riad Madu (tenda – jantar)
Erg-chebbi
Erg-Chebbi
Tão bonito – Erg-Chebbi
À volta das dunas
E dentro das dunas à procura do pôr do sol – Polaris
Ao menos todos os transportes foram usados ahah
Into the desert
Sunset lindo!! 
Riad Madu

Segundo dia já dentro do Riad

Riad Madu
Riad Madu
Riad Madu

—— > próxima paragem Fez mas com passagem ainda por Chefchaouen 

Chefchaouen é a chamada de cidade azul ou pérola azul de Marrocos porque a sua cor predominante está entre os vários tons de azul. Isto já no caminho de volta, voltamos a passar as montanhas novamente, chefchaouen fica no meio e é paragem obrigatória, dá umas boas fotos.

Chefchaouen
Chefchaouen
Chefchaouen
Chefchaouen
Chefchaouen

—— > Fez

Fez é a segunda maior cidade do país e onde dizem estar a mais antiga universidade do mundo. Não deu para visitar muito, chegamos muito tarde, a medina também é classificada como património mundial da UNESCO, onde se localiza o mercado ( ainda conseguimos passar por lá) ponto principal de turismo, entre ruas e ruazinhas de artesanato e tudo o que se possa imaginar para adquirir.

Fez
Fez

Fez é muito conhecido pelos curtumes e todo o processo para os tingir, nas tanneries. Talvez um dia… Não fiquei particularmente encantada por Fez, não gostei muito do ambiente, achei muito sujo e principalmente quando saímos da cidade, são toneladas e toneladas de lixo à volta das estradas. Espantem-se se acham que vão encontrar muito lixo assim por Marrocos, só mesmo em Fez é que nos deparamos com maiores quantidades. O hotel foi normal, simples, sem qualquer tipo de traço característico como até aqui, nada a apontar, só pernoitar e sair.

————–> Ceuta 

Chegamos novamente ao norte de África prontos e cansados, resolvidos a ficar em Ceuta, cidade autónoma de Espanha. Passamos a fronteira e voltamos aos nuestros hermanos. Ceuta pelo que vi deve ser uma cidade bem interessante para conhecer, um local que quero voltar para ver melhor.

Ceuta

—— > Córdoba 

Volta à estrada dia 31 fazer a mudança do nosso ano em Córdoba, não nos lembramos de um pequeno pormenor… os espanhóis enfiam-se todos num buraco pela altura das festas e está tuuuuuudo fechado, absolutamente tudo fechado. Salvou-nos os tão típicos mercados espanhóis, cheios de convívio, restauração de tapas, enchidos, sushi, bebidas, mariscos… foi o nosso jantar de passagem de ano e correu bem 😉

E 500km até Portugal…. Fim

Foi assim… Espero que um dos 12 bocadinhos de noz que comi à 00:00 (não havia passas a pessoa tem de se desenrascar) me leve a passear mais este ano (vamos lá mandar isto para o universo a ver se ele me ouve).

Ps: dentro do género de viagem que fiz, é prático, tudo prático sem grandes coisas, sem dar nas vistas, (Marrocos é seguro mas todo o cuidado com as nossas coisas é pouco), fazia frio nesta altura, coisas confortáveis, botas e ténis confortáveis, coisas simples.

Para Marrocos deve levar-se algumas coisas para trocar por artesanato e dar, no Atlas por exemplo não têm forma de chegar a grande parte de bens que para nós são muito acessíveis, desde adultos a crianças, levar roupa, canetas, brinquedos, bens alimentares… E o coração também se vai partir pela quantidade de cães que existem famintos…(esta menina chorou baba e ranho).

Fotos melhores —-> pelo instagram xani_rodrigues

1 beijoca

 

 

 

 

 

 

2017

Olá 2017!

Tiveram uma boa passagem de ano? Se o ano passado fui parar ao Porto, este ano e passados 10 anos em Lisboa, fiz por cá a primeira vez, destino – Terreiro do Paço. Nos últimos anos saí quase sempre, países frios, neve, muitas vezes no Algarve, o ano passado fui conhecer o Porto e este ano foi mesmo em cima do joelho (porque não em Lisboa?).

Primeiro que tudo a Mami fez anos, fazer anos ao dia 29 de Dezembro ninguém merece e ela acha o mesmo :D
Primeiro que tudo a Mami fez anos, fazer anos ao dia 29 de Dezembro ninguém merece e ela acha o mesmo 😀
Como a noite não o pedia já que foi passado na rua e de bar em bar, obrigatório ir quentinha! E de calçado confortável. Mesmo assim a camisa era azul brilhante *
PDA – Pelas ruas de Lisboa de bar em bar, obrigatório ir quentinha! E de calçado confortável.

Resoluções, resoluções… que normalmente costumam andar todas muito à volta do mesmo… pelo menos as minhas, passas de uva que odeio, fecho os olhos e vejo se aquilo passa rápido nheeec!

Fazer mais desporto...
Fazer mais desporto…
Comer mais saudável (salada caprese by me)
Comer mais saudável (salada caprese by me)

DEIXAR DE FUMAR Pois é… um blog não devia dar estes maus exemplos mas… se é sobre mim é também sobre as minhas asneiras e essa é uma delas. Nunca fui grande fumadora, durante anos, fumei a brincar, socialmente, só aos fins de semana, muitas vezes nem me lembrava e depois… deixei por completo, durante 2 anos e meio, nem me fazia falta, até começar a brincar novamente “Ah isto não me vicia… é só na brincadeira”, pois claro, pela boca morre o peixe e há 2 anos que ando nesta vida. RESOLUÇÂO MAIOR – Deixar isto com a ajuda do desporto!

 

E o resto que venha e que seja bom que todos nós só queremos paz, descanso e saudinha com muitos sorrisos.
E só assim para terminar sem ter nada a ver, os meus meninos são lindos! Vestígios ainda dos serões natalícios
Vestígios ainda dos serões natalícios. Os meus meninos 

Bom Ano*

KissKiss

 

 

 

 

Christmas

Devia ser proibido, a minha época preferida está quase a ir, o Natal já foi, contam-se os dias para a passagem de ano e puf, 2017!
pinterest
pinterest
O Natal é quando quisermos mas não haveria possibilidade de termos 4 noites de Natal, distribuídas pelo ano?  😀 (a exagerada). É que eu gosto e sempre gostei mesmo disto, ver as decorações, as luzes na rua, fazer as minhas em casa, ouvir as músicas, embrulhar os meus presentes e pensar no que dar de miminho a cada pessoa, ver as ondas solidárias que aparecem com maior abundância nesta altura (sim eu sei que devem acontecer o ano inteiro), saber que vou estar com os meus, encontrar amigos na santa terrinha e ir ao cafézinho, época de mais sorrisos, o frio, o jantar da véspera e o almoço do dia, a comiiiida 🙂 Pronto eu sou uma Natólica o que é que eu posso fazer… o que não tem remédio, remediado está.
Mostrando melhor a minha árvore de natal em casa com rosinhas
Mostrando melhor a minha árvore de natal em casa com rosinhas

image

As luzes das ruas de Lisboa
As luzes das ruas de Lisboa
Looks quentinhos
Looks quentinhos
Casaco - Casa das Peles
Casaco – Casa das Peles
Vem aí uma "sobrinha" e eu e o pai fomos à caça de coisinhas para... Olhem-me estes olhos!!! Ainda perguntei se podia ficar com ela até a pipoca nascer... lever uma nega :D
Vem aí uma “sobrinha” e eu e o pai fomos, às compras de natal à caça de coisinhas para ela… Olhem-me estes olhos!!! Ainda perguntei se podia ficar com ela até a pipoca nascer… levei uma nega 😀
A minha prenda de natal de mim para mim mesma, um novo tapete de entrada para substituir o anterior feito num 8. Amantes do Harry Potter como eu, está na fnac... ALOHOMORA
A minha prenda de natal de mim para mim mesma, um novo tapete de entrada para substituir o anterior feito num 8. Amantes do Harry Potter como eu, está na fnac… ALOHOMORA
E eu quero este livro... Fnac
E eu quero este livro… Fnac

image

image

image

Esta é a altura de comer certo? / Las Ficheras - Lisboa / Trobadores - Lisboa / Block House - Oeiras
Esta é a altura de comer certo? / Las Ficheras – Lisboa / Trobadores – Lisboa / Block House – Oeiras
A foto mais natalícia que consegui com o Bruce - Gorro - Marc By Marc Jacobs / Tenis - Adidas Gazelle
A foto mais natalícia que consegui com o Bruce – Gorro – Marc By Marc Jacobs / Tenis – Adidas Gazelle
Manhãs de ronha / Ted Baker London
Manhãs de ronha / Ted Baker London
Aquela prenda que me fez ganhar corações nos olhos foi tão em cheio!!
Aquela prenda que me fez ganhar corações nos olhos foi tão em cheio!!

image

image

image

Look véspera de natal  Casaco - Manoush / Gorro - Antoine & Lili / Casaco interior - Tintoretto / Vestido - Zara / Colar - Pedra Dura / Mala - Love Moschino / Botas - Lemon Jelly
Look véspera de natal
Casaco – Manoush / Gorro – Antoine & Lili / Casaco interior – Tintoretto / Vestido – Zara / Colar – Pedra Dura /Botas – Lemon Jelly
O dia 25 em tigress :) e confortável no calçado - Nike Air
O dia 25 em tigress 🙂 e confortável no calçado – Nike Air

E foi por aqui o Natal, vou começar a fazer a contagem para o próximo, venha daí então uma boa passagem de ano

Boas Festas

KissKiss